Balio

Às portas do Porto, nas margens verdejantes, mas também não raras vezes nebulosas, do Leça, existe um lugar convidativo. Místico e…mágico. Os vestígios de um provável templo e uma ara dedicada a Júpiter fazem remontar essas características, pelo menos, à época romana. Este é um espaço que nos convoca para um desafio intimista: um encontro com nós próprios. Um percurso de compreensão e superação, inspirado nos Caminhos de Santiago, que por aqui passam há mais de mil anos e que não é possível sem uma chegada: ao Mosteiro de Leça do Balio!

Extinto em 1834, o Mosteiro entrou num acentuado processo de ruína e abandono que não foi travado pela sua classificação como Monumento Nacional em 1910. Transformado depois numa casa de veraneio, o esquecimento continuou a caracterizar este relevante espaço patrimonial. O início da sua regeneração tem lugar a partir de 2016 quando é adquirido pelo Grupo Lionesa num projeto de capacitação cultural do território.

No início de 2021, arrancaram as obras de reabilitação do Mosteiro de Leça do Balio. Um projeto entregue ao Pritzer, Siza Vieira, que pretende aportar contemporaneidade ao preservar as memórias que o tempo deixou. Com foque no resgate daquele que é o mais antigo Caminho Português, modernizando-o e adaptando-o a quem o procura. Um Caminho que é antigo, mas fazê-lo é hoje um exemplo de modernidade. Um caminho ecuménico, que interpela introspecção e sublinha o contemporâneo quer seja na arquitetura, cultura ou gastronomia

Balio: uma Viagem no Tempo